Arte & Educação

Sintagmas Educativo

O método pedagógico de ensino pela arte aqui apresentado foi realizado como projeto educativo em cidades do interior de São Paulo. Destinado a um público pouco familiarizado com arte contemporânea, tendo como fundamento a transdisciplinaridade, os conjuntos das obras assim como os catálogos propostos- Blue Days e Sintagmas- possibilitariam aos espectadores de ensino fundamental/médio e universitário da rede pública uma primeira instrução e o despertar de uma consciência crítica.

Em mostras do trabalho do artista, em local público, o principal objetivo era deslocar para a arte contemporânea a abordagem de múltiplos conhecimentos gerando uma forma inovadora de aprendizagem e assimilação de conceitos cujo meio catalisador fosse a arte.

Derivou-se daí também, a formação de um novo público para a fruição da percepção artística estendida para além da simples observação.

De forma muito dinâmica e interativa, os participantes eram estimulados à criação de objetos utilizando-se de um catálogo produzido com obras e desenhos do artista. A pluralidade de conteúdos abordados no catálogo e nas obras, a participação efetiva de manipulação e criação destes novos materiais foi o diferencial deste método pedagógico de “ver arte” e construir conhecimentos a partir disto.

No corpo de obras da mostra encontravam-se fotografias, desenhos, pinturas e  objetos. A vertente evidenciada pelo artista em suas obras é a “serialidade” existente tanto na repetição e multiplicação de elementos da matriz na natureza e universo, bem como nos processos industriais que multiplicam procedimentos e produtos, atendendo às demandas de consumo. A diversidade de sua proposta poética e o conjunto de registros gráficos e estudos sobre desenho possibilitou aos participantes, por meio de uma experiência reflexiva e ativa, um encontro com a sensibilidade do artista, com a arte contemporânea e suas ressonâncias nas diversas áreas do conhecimento. Foi possível destacar conteúdos de anatomia, lógica, linguagens, design, história, antropologia, filosofia, entre outros.

Por meio deste catálogo interativo o público foi convidado a criar suas próprias obras numa catarse coletiva de criação com abordagens diversas resultando em exposições múltiplas e paralelas ao trabalho do artista, num rico diálogo visual entre artista e público.

Foram também adotadas ações de formação para os monitores que ampliaram os resultados pela contextualização dos mesmos na dinâmica do aprendizado proposto.

 

Descritivo Cronológico

Sintagmas teve início em janeiro de 2015 e foi finalizado em agosto de 2016 na Biblioteca Municipal Mário de Andrade em Araraquara.

Ação Educativa - público: alunos de escolas do ensino fundamental e universitários – Etapa 1: 9 de maio a 28 de maio de 2016. A instalação - cenografia da arquiteta Andrea Bersanetti ocupou toda área expositiva do pavimento superior da Biblioteca, num total de 380m2 de área de trabalho.

Etapa 2: Workshop aberto ao público em geral, no Espaço de Arte 220 – Debora Paiva e Carlos Rezende.

Blue Days, primeira etapa desse trabalho, aconteceu na Casa da Cultura de Ribeirão Preto de 20 de fevereiro a 2 de Abril de 2014, e no Teatro Municipal de Araraquara de 5 a 26 de abril de 2014.

 

Em que sentido o projeto propõe uma pedagogia para as artes?

O catálogo com desenhos e obras do artista para corte, recorte, colagem e as ações educativas e interativas do projeto despertaram nos participantes a possibilidade de vivenciar, por meio da arte, sentimentos e pensamentos que reconfiguram suas vivências pessoais conduzindo-os a levantar questões e novos pontos de vista sobre a vida, o cotidiano e o mundo.

 

Estas reflexões foram o fio condutor para ampliar e deixar fluir todos os campos do conhecimento que puderam ser construídos a partir da vivência com as obras do artista. A forma, a cor, a linguagem, a lógica, a história, a natureza, a filosofia, etc; foram conteúdos potencializados pela imagem e poética das obras.

A proposta do projeto é criar o diálogo, a experiência e o aprendizado não formal pelas vias do sensível e da poética visual, com ações práticas que introduzam todos em um percurso inspirador resultando em desdobramentos e reflexões para a própria vida traduzida em objetos de criação própria.

O fato de esta iniciativa ocorrer no interior de São Paulo também é fato relevante para a pedagogia da arte, visto que o acesso à arte e cultura fica restrito a um superficial programa formal nas escolas públicas, muitas vezes voltados à artesania e ao estudo da arte antiga e moderna. Os alunos participantes em sua grande maioria nunca haviam visto uma mostra de arte contemporânea e vivenciado experiência semelhante.

Os monitores do projeto passaram pelo mesmo processo em um treinamento que privilegiou a experiência expandida para uma forma de ensinar compartilhada.

 

Público Alvo e o Impacto em Comunidades.

O projeto Sintagmas, nas suas duas etapas, teve visitação de alunos de escolas públicas estaduais e municipais das cidades de Araraquara, Ribeirão Preto, Viradouro, Pitangueiras, Terra Roxa e Américo Brasiliense.

Na primeira versão, voltada para as escolas básicas, atendeu 2800 alunos aproximadamente.

Na segunda edição, na Biblioteca Mário de Andrade, atendeu um público de 600 pessoas aproximadamente.

Foi realizada palestras no Sesc Ribeirão, 208 pessoas e na Biblioteca Municipal de Araraquara, 80 pessoas.

 

Vídeo sobre o Projeto:

https://drive.google.com/file/d/0B38CSwPiiPOxc1o1RW5WY0psSlE/view

Carlos A. C. Rezende - All Rights Reserved  2010-2020. No Part of these images and texts of this website may be reproduced without permission in writing from Carlos Rezende.